Postado em 27 de agosto de 2020

SINDIBANCÁRIOS se reúnem para avaliar negociações da Campanha 2020.


 

 Nesta quinta-feira (27/08), o Sindicato dos Bancários do Extremo Sul da Bahia – SINDIBANCÁRIOS, realizou mais um debate através da plataforma Zoom com a participação de um grande número de trabalhadores da base.  Segundo Moisés Araújo, Diretor Coordenador-Geral da entidade sindical, o objetivo foi atualizar, avaliar e prestar esclarecimentos acerca das negociações entre o Comando Nacional dos Bancários com a Federação Brasileira de Bancos e com os bancos públicos – BB, BNB e CAIXA. “Em nossa avaliação, cresce a indignação dos colegas com o desrespeito à categoria em querer impor reajuste zero, além de rebaixar a PLR e questões sociais importantes como o plano de saúde dos colegas da Caixa” destacou Moisés.

O Diretor Carlos Eduardo fez um relato das negociações e esclareceu que a proposta da Fenaban, é manter o reajuste zero para 2020 e a correção inflacionária pelo INPC em 2021, mas retiraram o pagamento fracionado para o índice ano que vem. Em relação ao Home Office, o Diretor jurídico João Climario explicou a importância da contratação coletiva para garantir controle da jornada, condições de trabalho e acesso ao acompanhamento dos colegas. Lembrou também que o Sindicato está preparando ação judicial para garantir que os trabalhadores que estão em home office e coabitam com familiares de grupo de risco não sejam obrigados a voltarem ao trabalho presencial.

João Bourgalber, funcionário do BB, lotado na agência Porto Seguro,  explicou que na mesa específica do Banco, as questões que estão gerando impasse são: acabar com os 03 ciclos de GDP para descomissionamento; acabar com possibilidade de venda dos abonos e quer diminuir para 2% a parcela adicional da PLR.

Na específica da Caixa, o Diretor do Sindicato Gilderaldo Rodrigues, esclareceu que a empresa apresentou proposta de PLR, com a manutenção da PLR Fenaban e a garantia de uma Remuneração Básica (RB). A comissão de empresa dos funcionários cobrou o reconhecimento dos esforços dos empregados e a negociação foi suspensa.

E em relação ao Saúde Caixa, o banco propõe a manutenção da proporção 70/30 por um ano, com a Caixa arcando com a diferença caso os gastos ultrapassem o teto de 6,5% da folha. Entretanto, querem que a mensalidade suba para 3,7% da remuneração do titular mais 0,5% por dependente. Além disso, a coparticipação iria para 30% por procedimento, com teto de R$ 2.870,00 por usuário.

A empresa recuou do modelo originalmente proposto e mantém os princípios da solidariedade e o pacto inter-geracional, mas os valores de mensalidade e do teto ficaram muito altos.

Em relação ao BNB Carlos Eduardo relatou que em reunião de negociação com a CNFBNB nesta quinta 27, o banco se comprometeu em creditar os tíquetes alimentação e refeição até segunda feira. Está marcada negociação específica do BNB amanhã, sexta às 15h.

GREVE GERAL DOS BANCÁRIOS

O debate formou o entendimento que com o crescimento da mobilização, a greve já está sendo construída para um enfrentamento com os banqueiros e o governo Bolsonaro. “Não vamos aceitar retirada de direitos”, destacaram os colegas no debate.

Dia do Bancário: Nesta sexta-feira 28 de agosto é dia histórico para a categoria. É o dia dos bancários. “Vamos comemorar o dia fortalecendo a mobilização, colocar nossa Campanha na mídia e nas ruas e preparar para um embate mais duro se for necessário”, relata Carlos Eduardo, diretor do Sindicato.

ASSEMBLEIA PERMANENTE É APROVADA

Computada a votação do segundo ítem do Edital de convocação da Assembleia geral da categoria convocada nesta quinta-feira, entre 19h a 22 horas desta quinta (27/08), para participação da categoria pelo sistema VOTABEM. Os bancários da nossa base aprovaram quase por unanimidade pela transformação da Assembleia em Assembleia Permanente para próximas votações para avaliação das propostas de acordo e demais deliberações decorrentes do resultado das votações.