Postado em 18 de agosto de 2020

Sexta rodada de negociação entre a Fenaban e o Comando Nacional dos Bancários termina sem acordo.


 

A sexta rodada de negociação entre a Federação dos Bancos (Fenaban) e o Comando Nacional dos Bancários, nesta terça-feira (18), terminou sem acordo nas principais reivindicações da categoria. Os bancos propuseram retrocessos para a PLR. O Comando negou na mesa de negociação e nova reunião está marcada para a próxima quinta-feira (20).

Os bancos querem retroceder o valor na PLR, e o percentual do salário retornaria ao patamar de 1995 e o da parcela adicional retornaria ao patamar de 2012. Além disso, os valores fixos teriam redução de 20% retornando ao patamar entre 2014 e 2015 e o fator acelerador da regra básica retornaria ao patamar de 2007. Com todas as alterações de rebaixamento propostas pela Fenaban somadas ao menor patamar de lucro dos bancos em 2020 em função do aumento das provisões para devedores duvidosos a redução na PLR recebida pelos bancários pode chegar até a 48%.

A pauta de reivindicações foi entregue no dia 23 de julho. A categoria quer reposição da inflação mais aumento real de 5%; PLR de três salários mais parcela fixa de R$ 10.742,91; VA e VR no valor mensal de R$ 1.045 cada um; auxílio-creche/babá mensal de R$ 1.045 para cada filho até 12 anos; Plano de Cargos e Salários mais justo e transparente; dentre outras reivindicações sociais, de saúde e segurança, de igualdade de oportunidades, e de garantia de empregos.

#NaLutaPorAumentoReal