Postado em 31 de outubro de 2020

Bradesco supera projeções e lucro cresce 30% no trimestre, mas desrespeita compromisso estabelecido na Campanha Salarial e segue demitindo em massa.


 

Indústrias fechando, comércio falido, mais de 14 milhões de desempregados, 82 milhões endividados no SPC e a inflação de setembro de 0,64%, puxada pela alta da gasolina e alimentos, é a maior em 17 anos. Neste período quase todos os bancos continuam elevando os lucros em plena estagnação econômica agravada pela pandemia do Covid-19, por exemplo: o banco do Bradesco teve um lucro de R$ 5 bilhões no terceiro trimestre de 2020, representando uma alta de 30%.

Em reação as demissões na região, dirigentes do Sindicato dos Bancários do Extremo Sul da Bahia – SINDIBANCÁRIOS, realizaram uma manifestação nesta última quinta-feira (29/10), na agência 1652 do Bradesco em Teixeira de Freitas. A mobilização faz parte da Campanha Nacional Contra as Demissões nos Bancos Privados, movimento de protesto que tem ocupado as redes e as ruas. Durante o protesto, os Diretores ressaltaram que é uma vergonha que os bancos continuem demitindo os trabalhadores em plena crise sanitária e econômica, pois dificilmente esses vão conseguir reingressar no mercado de trabalho.

“O Bradesco já demitiu mais de 1.200 bancários e o número de homologações não param de chegar aos sindicatos. A ganância e a crueldade dos banqueiros não têm limites. O Brasil precisa romper este cartel do sistema financeiro”, criticou Moisés Araújo, Diretor-Coordenador Geral do SINDIBANCÁRIOS.

“Nosso Departamento Jurídico tem orientado bancários e bancárias a buscar ajuda; para isso acionamos nossos advogados para atender a categoria. Nosso Sindicato tem feito as orientações e os advogados estão à disposição dos colegas injustiçados”, concluiu Moisés.